Ações Formativas

24º Festival Isnard Azevedo

Palestras, Debates e Encontros

CONVERSA
TEATRO, POLÍTICA E RESISTÊNCIA: O HOJE E O AMANHÃ

Conversa com Tânia Farias (Porto Alegre/RS) e Edélcio Mostaço
Mediação: Marco Vasques
Data: Dia 12 de setembro de 2019
Local: Teatro da UBRO | Horário: 19 h
Vagas: 94 pessoas | Duração: 60 minutos

Conversa sobre como perfurar e resistir à rigidez e aos discursos de criminalização que a arte e os artistas vêm enfrentando no hoje para que possamos respirar um amanhã.

* Proposição do Caixa de Pont[o] – jornal brasileiro de teatro.

CONVERSA
EXPERIÊNCIA DA CENA

Coordenação: Paulo Ramon
Local:
Espaço 1 no Centro de  Artes / UDESC
Data: Dia 16 de setembro de 2019 
Das 14h as 16h: Conversa com Coletivo Dizputa Sitiada, Felipe Schaitel, Jerusa Mary e Marcos Mazzuco.
Das 16h30 as 18h30: Conversa com Natália Bona, João Ferreira e Companhia de ARTE (Coro dos Maus Alunos).
Vagas: 80 pessoas
Duração: 2 horas por rodada

Conversas com as direções dos espetáculos que integram a programação da Cena Universitária do Festival, tendo por eixo a discussão do ensino como uma prática artística e a pedagogia da arte.
* Proposição do Caixa de Pont[o] – jornal brasileiro de teatro.

PALESTRA
SOBRE O DRAMATURGO MATEI VISNIEC

Ministrante: José Roberto Jardim
Academia de Palhaços (São Paulo/SP)
Local: Auditório do Dpto de Música – Centro de Artes da UDESC
Data: Dia 18 setembro de 2019
Horário: 16 h Duração: 120 minutos
Vagas: (capacidade do espaço)

Esta palestra fará um pequeno panorama da vida e obra do dramaturgo romeno Matei Visniec (autor do espetáculo “Adeus Palhaços Mortos”) e traçará paralelos com as tendências formais da dramaturgia contemporânea. O público alvo desta palestra serão estudantes de letras e das artes cênicas, atores, escritores, artistas e interessados em dramaturgia em geral.

Ação Patrocinada exclusivamente pela Petrobras

* Proposição realizada em parceria com o Centro de Artes da UDESC.

CONVERSA
CIRQUE DU SOLEIL – A EXPERIÊNCIA DE UM ATOR BRASILEIRO

Bate papo com o ator Marcelo Perna (Florianópolis/SC)
Mediação: Denize Gonzaga Santos
Data: Dia 19 setembro de 2019
Local: Auditório da Casa da Memória
Horário: 16h
Vagas: 50 pessoas
Duração: 60 minutos

Relato da vivência de Marcelo Perna, ator formado pela UDESC, com 35 anos de experiência e integrante do elenco do espetáculo Corteo do Cirque Du Soleil, desde 2013.

CONVERSA

TEATRO, POLÍTICA E RESISTÊNCIA: O HOJE E O AMANHÃ

Conversa com Casa Selvática (Curitiba/PR) e Bapho Cultural (Florianópolis) e Carolina Pommer (MNPR)
Mediação: Edélcio Mostaço
Data: Dia 20 de setembro de 2019
Local: Auditório da Casa da Memória
Horário: 18h | Vagas: 40 pessoas
Duração: 60 minutos

Conteúdo: Conversa sobre como perfurar e resistir à rigidez e aos discursos de criminalização que a arte e os artistas vêm enfrentando no hoje para que possamos respirar um amanhã.

* Proposição do Caixa de Pont[o] – jornal brasileiro de teatro.

DEBATE COM PÚBLICO SOBRE ESPETÁCULO ADEUS, PALHAÇOS MORTOS
Mediação: Academia de Palhaços
Data:
 Dia 20 setembro de 2019 | Local: Teatro Álvaro de Carvalho
Horário: após a sessão das 21h | Vagas: público presente no local
Duração: 30 minutos

Conteúdo: Durante o debate, a companhia irá compartilhar as impressões do processo de criação do espetáculo: escolha do texto, adaptação dramatúrgica, ensaios, concepções de cenário, figurino, música etc. Ao final, será aberto espaço para perguntas e impressões por parte do público.

Ação Patrocinada exclusivamente pela Petrobras 

CONVERSA
ENCONTRO DA CIA. ACADEMIA DE PALHAÇOS COM GRUPOS TEATRAIS LOCAIS

Mediação: Academia de Palhaços (São Paulo/SP)
Data:
Dia 21 de setembro de 2019
Local: Espaço 1 – Centro de Artes da UDESC
Horário: das 17h30 às 19h30
Vagas: 40 pessoas

O encontro da Cia. Academia de Palhaços com os grupos de teatro locais terá o tema “Gestão Cultural Criativa”. Aline Olmos, atriz e gestora cultural, compartilhará a experiência dos doze anos de existência da Cia. e sua lida diária com editais, leis de incentivo, economia colaborativa e outros meios de gestão cultural, mostrando como isso dialoga com sua criação artística. Além disso, esse será um espaço de troca para que grupos e a Academia de Palhaços possam ter um panorama de como se dão as diferentes formas de existência desses coletivos hoje.

Ação Patrocinada exclusivamente pela Petrobras

* Proposição realizada em parceria com o Centro de Artes da UDESC.

CONVERSA
ESPAÇOS DA CENA

Conversa com Margarida Baird (Círculo Artístico Teodora), Luiza Lorenz (Centro Cultural Nau Catarineta), André Francisco (Casa Vermelha Centro Cultural) e Gabriela Leite (Quilombo Estúdio)
Mediação: Marco Vasques Data: Dia 21 de setembro
Local: Auditório da Casa da Memória | Horário: 17h30
Vagas: 40 pessoas | Duração: 60 minutos

Conversar sobre as dificuldades e os desafios de se manter um organismo artístico vivo, mas também, sobre o sabor e saber da vida em coletividade.

* Proposição do Caixa de Pont[o] – jornal brasileiro de teatro.

PALESTRA ARTÍSTICA SOBRE MANIFESTAÇÕES POPULARES BRASILEIRAS

Ministrante: Maria Eugênia (São Paulo/SP)
Data:
Dia 23 setembro de 2019
Horário: 19h30
Local: Teatro da UBRO
Duração: 40 minutos
Vagas: 96 pessoas

Por meio de falas e performances artísticas o público é convidado a conhecer um pouco dos caminhos históricos percorridos por nossas manifestações tradicionais brasileiras assim como refletir sobre o que as mantém à margem da sociedade.

CONVERSA
O TRÂNSITO DAS POÉTICAS

Conversa com Zózima Trupe (São Paulo/SP)
Mediação: Marco Vasques
Data: Dia 24 de setembro de 2019
Local: Auditório da Casa da Memória
Horário: 16h
Vagas: 40 pessoas
Duração: 60 minutos

Conversa sobre o ofício poético da Zózima Trupe e seus dispositivos de ataque à máquina de triturar as poéticas em trânsito.

* Proposição do Caixa de Pont[o] – jornal brasileiro de teatro.

GESTÃO DE COLETIVOS CRIATIVOS
Palestra com Cynthia Margareth (São Paulo/SP) – AFLORAR Cultura
Coordenadora do FEVERESTIVAL – Festival Internacional de Teatro de Campinas
Data: Dia 26 de setembro de 2019
Local: Espaço 1 do Ceart/UDESC
Horário: 14h
Vagas: 40 pessoas
Duração: 60 minutos

A produção como eixo criativo que impulsiona ações colaborativas, criações de redes, formação e coordenação de equipes de trabalho. Com o foco na gestão de grupos e coletivos artísticos, Cynthia Margareth provoca o diálogo sobre produção criativa e colaborativa e convida a todos para a reflexão do estar em grupo, do papel do produtor na interlocução com artistas, mercado e equipe interna.

Cynthia Margareth é gestora cultural, acredita na produção criativa e em projetos colaborativos. É bacharel em artes cênicas, graduada em 2004 pela Universidade Estadual de Londrina, estagiou com Teatro Potlach-Itália. Atualmente é coordenadora de produção do LUME Teatro, Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da UNICAMP, diretora geral do FEVERESTIVAL (Festival Internacional de Teatro de Campinas) e colaboradora na gestão de equipe do FIMC (Festival Internacional de Máscaras do Cariri).

* Proposição realizada em parceria com o Centro de Artes da UDESC.

CONVERSA
4ª RODA DE NEGÓCIOS TEATRAIS

Com participação de curadores de Festivais e eventos de Teatro
Alaor Rosa (Brasília/DF), Alexandre Vargas (Porto Alegre/RS), Afonso Nilson de Souza (Laranjeiras/SC), Michele Rolim (Porto Alegre/RS), Teresinha Heimann (Blumenau/SC), Cynthia Margareth (São Paulo/SP) e Aline Vila Real (Belo Horizonte/MG).
Data: Dia 27 de setembro de 2019
Local: Auditório da Casa da Memória
Horário: período matutino e vespertino
Vagas: 20

Teresinha Heimann
Michele Rolim
Cynthia-Margareth
Aline Vila Real
Alexandre Vargas
Alaor Rosa
Afonso de Souza

A Roda de Negócios Teatrais visa à criação de novas possibilidades de visibilidade da produção de grupos teatrais de Florianópolis, oferecendo um canal direto de comunicação entre realizadores e curadores de importantes festivais de teatro do Brasil.

Inscrições: solicitar ficha de inscrição através do e-mail floripateatro@gmail.com

LANÇAMENTO DE LIVRO
O QUE PENSAM OS CURADORES DE ARTES CÊNICAS

Conversa e lançamento de livro com Michele Rolim (Porto Alegre/RS)
Data:
Dia 26 de setembro de 2019
Local:
Auditório da Casa da Memória
Horário:
18h | Vagas: 40

A pesquisadora e crítica teatral Michelle Rolim falará sobre o tema de seu livro, O que pensam os curadores de artes cênicas, conversa com quinze dos principais curadores da área sobre a função e a importância da curadoria na construção e no desenvolvimento das artes cênicas no Brasil. A partir dos anos 1990, vivemos a multiplicação de festivais no país, o que estimulou a discussão sobre o tema. No livro, lançamento da Editora Cobogó, entrevistadora e entrevistados são instigados a pensar juntos sobre a figura do curador e como sua função se desenha no Brasil.

CONVERSA
TEATRO NEGRO: POÉTICAS E PROCESSOS CÊNICOS

Conversa com Grupo O Bonde (São Paulo/SP), Carcaça De Poéticas Negras (São Paulo/SP), Coletívo NEGA (Florianópolis/SC)
Mediação: Julianna Rosa de Souza
Data:
Dia 29 setembro de 2019
Local: Teatro Álvaro de Carvalho
Horário: 17h30 (após sessão do espetáculo Mato Cheio)
Vagas: 200 pessoas
Duração: 60 minutos

Conversa visando desvendar as estratégias de construção poética destes grupos e a partir disso debater questões políticas e artísticas. Será uma espécie de diário de bordo sobre algumas poéticas presentes no Floripa Teatro.

* Proposição do Caixa de Pont[o] – jornal brasileiro de teatro.

LANÇAMENTO DE LIVRO
ASFIXIA

Conversa e lançamento de livro com Afonso Nilson de Souza (Laranjeiras/PR)
Data: Dia 27 de setembro de 2019
Local:
Tralharia Rua Nunes Machado, nº 104, Centro
Horário: 21 horas

Asfixia é um texto teatral escrito para cinco atores. Sua adaptação cinematográfica recebeu o prêmio cinemateca catarinense de 2005, na categoria roteiro de curta-metragem. A partir de um mote bastante simples, o desabamento de uma mina, os conflitos se desenrolam de modo abruto, repletos de surpresas violentas e reviravoltas. Os embates morais, mais do que os físicos, permeiam o enredo em direções inesperadas, remetendo à temáticas contundentes, tensionando o texto a partir de perspectivas éticas de grande atualidade.

DESENVOLVIMENTO DE PUBLICAÇÃO

ISNARD – PRIMEIRO CADERNO

Realização: Equipe Caixa de Pont[o] Jornal Brasileiro de Teatro
Equipe: Marco Vasques, Edélcio Mostaço, Rubens da Cunha, Denize Gonzaga Santos e Paulo Ramon

Elaboração e publicação de Caderno de Teatro com reflexões sobre política, estética e ética nas artes cênicas por meio de fotos, entrevistas, ensaios, artigos e críticas.

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA
O PALCO É DELAS
Fotógrafas: Carolina Cabral e Jerusa Mary
Local: Casa Vermelha Centro Cultural – Rua Conselheiro Mafra, 590, Centro, Florianópolis (SC). Informações: (48) 3030-1886
Horário Visitação:
Sempre uma hora antes das sessões programadas no espaço.

A Mostra Fotográfica O Palco é Delas apresenta registros de espetáculos dando ênfase para as mulheres na cena teatral, através do olhar das fotógrafas Carolina Cabral e Jerusa Mary. Essa mostra é um espaço importante para discussão sobre questões de gênero, pois reflete visualmente não apenas temáticas feministas, mas também marca um caminho, através da imagem, das conquistas das mulheres na cena como: atrizes, produtoras e diretoras. O objetivo é alargar esse lugar de diálogo onde se possa valorizar novas propostas e saberes, ampliar horizontes de estudo e incentivar produções teatrais feministas, divulgando e permitindo o acesso de públicos diversificados à esse material fotográfico.

TROFÉU ISNARD AZEVEDO
Homenageada:
Fátima Costa de Lima
Data:
29 de setembro de 2019
Horário: 19h30
Local: Teatro Ademir Rosa – Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica, Florianópolis

Atriz, cenógrafa, figurinista e diretora teatral, comecei a fazer teatro no Rio de Janeiro na década de 70, nas oficinas do Clovis Levi e do Asdrúbal Trouxe o Trombone. Neste último curso, fundei e participei de meu primeiro coletivo teatral, o “Banduendes por Acaso Estrelados”, dirigida por Patrícia Travassos e Evandro Mesquita. Em Florianópolis em 1983, contracenei com Solange Adão em “Os Saltimbancos” e entrei para o Grupo A de Teatro, dando continuidade aos processos de criação coletiva com Ney Piancentini, Márlio Silva e Elisa Oliveira. Em São Paulo de 1985 a 1991, fiz muitos cenários e figurinos, e atuei em peças teatrais; dentre elas, para o primeiro “Woyzeck” da diretora Cibele Forjaz assinei os cenário e os figurinos, juntamente com Marcos Pedroso; e para “Vira e Mexe”, peça infantil do Grupo A que levamos para o Teatro do Bexiga em 1988, em qure também atuei ao lado do Raul Barretto, dos Parlapatões. De volta a Floripa, onde vivo desde 1991, trabalhei com muita gente, muita gente mesmo! Sou professora do Departamento de Artes Cênicas do CEART da UDESC desde 1993 e, desde 2011, do Programa de Pós-Graduação em Teatro. Fundei o Fórum Cultural e a Setorial Permanente de Teatro de Florianópolis, organizações da sociedade civil na luta pelo teatro desta cidade. Há duas décadas pesquiso arte e teoria crítica, teatro negro e teatro político. O Coletivo NEGA, grupo de atrizes negras que fazem confluir teatro negro e política antirracista, foi criado dentro do Programa de Extensão NEGA, que coordeno. Sou também carnavalesca e toco (mal, mas toco) repinique na Banda Africatarina, do projeto Africatarina, que fundei em 2001 com Helena Aschermann e Edinho Roldan com objetivo de dar visibilidade e valor à cultura negra de Florianópolis. Neste Festival Isnard Azevedo de 2019, participo de várias maneiras das peças teatrais “Coroação”, “5 Minutos”, “Maçã Podre” e “Preta-à-Porter”. Agradeço a homenagem e faço eu mesma minha própria homenagem a dois gigantes do teatro de quem tive a honra de ser companheira na luta por arte e cultura nesta capital do Estado de Santa Catarina. Ademir Rosa, presente! Márcia Pompeo, presente!